O que é Reflexoterapia?

É uma técnica terapêutica, por isso precisa ser estudada e entendida,  não invasiva e não medicamentosa, baseada no mecanismo das doenças (fisiopatologia) que tem por objetivo restabelecer o equilíbrio (homeostase) físico e emocional, do indivíduo, identificando, tratando e prevenindo distúrbios através de estímulos em terminações nervosas em pontos específicos nos pés.

É uma poderosa ferramenta aplicada isoladamente ou potencializando outros métodos terapêuticos.

Tem obtido enormes resultados por muitos profissionais que trabalham pelo bem-estar físico e emocional dos seus interagentes.

É a “Mais Antiga e Natural de Todas as Terapias”.

Não somos médicos,  e não temos o poder da cura, mas a reflexologia trata as pessoas com os seus próprios recursos biológicos (neurológicos, endócrinos, estruturais), sem invasão (cirurgia, agulhas etc.) e sem medicação (alopática, fitoterápica etc.).

O Poder do toque

A massagem é uma das formas mais eficientes de curar males do corpo.

Todos nós a utilizamos consciente ou inconscientemente, de imediato para aliviar dores – após uma pancada, torção ou luxação – ou simplesmente quando sentimos que a tensão acumulada no dia adia está pesando sobre nossos ombros.

Existem muitas técnicas e métodos de “massagem” terapêutica, mas a Reflexologia (embora não seja considerada massagem) difere de todas elas porque não tem como principio o toque direto na área que precisa de cuidado, mas sim o toque nos pés que correspondem ao membro, região ou sistema afetado (terminações nervosas).

À primeira vista, pode parecer estranho, mas não é difícil de entender: a Reflexologia é baseada exatamente na representação dos pés como um microcosmo do corpo. Esse fenômeno também se manifesta na íris do olho, na orelha e nas mãos.

No entanto, as áreas reflexas dos pés são mais específicas, por isso funcionam melhor para serem trabalhadas terapeuticamente.

A ideia de que cuidando de nossos pés podemos cuidar de nosso corpo inteiro por si só já é atraente. Se lembrarmos que o método dispensa a ingestão de qualquer espécie de remédio, a necessidade de se fazer exames ou testes, o uso de instrumentos e que nem mesmo chega a realizar uma intervenção direta na área afetada, a prática torna-se ainda mais impressionante.

Você mesmo pode tocar nos pontos específicos dos seus pés, porém, há um detalhe muito importante: como nosso organismo está interligado, com um componente trabalhando em função do outro, é preciso tocar em todos os pontos, variando apenas a pressão, o tipo de movimento e a velocidade.

Para usufruir de todos os benefícios dessa terapia milenar, no entanto, é sempre mais indicado procurar um terapeuta especializado.

Porque a Reflexoterapia Podal?

O pé é uma delicada estrutura: equilibra, suporta e transporta todo nosso peso corporal.

É base e alicerce, portanto, deve estar sempre bem cuidado e equilibrado. Partindo do princípio que se você cuidar bem dos seus pés eles retribuirão cuidando bem de você, a Reflexologia Podal passa a ser uma necessidade básica para uma vida saudável e equilibrada.

Nos pés, encontram-se milhares de terminações nervosas, que se comunicam com o SNC (sistema nervoso central) e se correspondem com o todo o corpo. Assim, quando estimuladas essas vias, é como se estimulássemos todo o organismo, para que ele funcione melhor.

Vale lembrar que a pressão em pontos corretos ainda estimula a circulação venosa e alivia a tensão e contração muscular.

Quando detalhado, o mapeamento dos pés possibilita o tratamento de acordo com as necessidades de cada paciente. É possível se livrar de dores nas costas, dor de cabeça, estresse, retenção de líquidos e problemas intestinais, tudo através de pressão dos pontos nos pés.

Para entender melhor a atuação da Reflexologia, basta dividir o pé da seguinte forma ( esta divisão chama-se zoneamento ou zonoterapia, segundo a Reflexologia moderna): os dedos se relacionam com a região da cabeça. O início da sola é o reflexo da região torácica, a curva do pé corresponde à região abdominal e o calcanhar com o baixo-ventre e membros inferiores.

Os Reflexoterapeutas não são médicos, portanto, nunca diagnosticam doenças, embora ajudem a eliminá-las à medida que devolvem ao organismo o seu estado de equilíbrio.

Na pressão com os toques reflexos, a maioria das pessoas sente um desconforto, uma desagradável sensação de dor (alfinetada, corte, osso esmagado, etc).

Isso acontece porque os pontos em questão estão congestionados (podemos chamá-los de cristais), que vem sendo acumulados durante anos, enquanto seu corpo trabalha sem parar, todos os dias, nos níveis físico, orgânico, mental e emocional – reflexos sensíveis à dor indicam quais partes do corpo estão congestionadas.

O estímulo para desbloqueio e liberação destes cristais provoca uma reação em cadeia por todo o organismo, graças à liberação de toxinas que fazem um verdadeiro processo de limpeza corporal.

Após uma sessão de reflexoterapia, é comum que o interagente sinta uma  leveza nos pés.

Na China, diz-se: “debaixo dos pés, o vento vivo”. Quer dizer que a pessoa sente-se como se estivesse andando nas nuvens, com imensa sensação de bem-estar.

É comum também, após a primeira sessão, o interagente relatar que teve uma boa noite de sono, que esvaziou mais vezes a bexiga e os intestinos, que ficou mais relaxado, bebeu mais água etc.

Clique aqui e conheça mais sobre como você também pode aprender essa técnica >>